9 de janeiro de 2012

Lição 03: Adolescentes - Evite as Más Companhias

TEMA: AS MÁS COMPANHIAS

“Filho meu, se os pecadores, com blandícias, te quiserem tentar, não consintas. Filho meu, não te ponhas a caminho com eles; desvia o teu pé das suas veredas. Porque os pés deles correm para o mal e se apressam em derramar sangue” (Pv 1.10;15,16).
INTRODUÇÃO

As más companhias têm causado sérios transtornos para o indivíduo tanto para a vida moral quanto a espiritual. As influências más são consideradas biblicamente como o fermento velho ou peçonha mortal. Há muitas pessoas que até a presente data nunca conseguiram se livrar dos detrimentos originados pelas más companhias. Atualmente as preocupações dos pais com relação aos filhos são exatamente esta. Discorreremos neste resumido comentário sobre as preocupações, resultados das más associações, advertências e referências gerais de boas companhias.


As preocupações

Estamos vivendo numa época em que o ser humano está cada vez mais vulnerável as influências negativas de certas amizades, principalmente os nossos filhos, crianças, adolescentes e jovens, o mais grave ainda é que tem aumentado o número de pessoas idosas envolvidas em situações difíceis por causa das más companhias. As seduções são cada vez mais tentadoras envolvendo crianças, adolescentes e jovens, no uso de bebidas alcoólicas, uma droga considerada lícita, que sem dúvidas servirão de porta de entrada para outros tipos de drogas mais nocivas. Não faz muito tempo que as crianças podiam brincar na rua com os amiguinhos sem inspirar muitos cuidados aos pais, as amizades eram mais tranqüilas, no entanto hoje tudo mudou. Atualmente se faz debates e mais debates tentando descobrir como evitar os nossos filhos contraírem más companhias, mas já surgiu um oponente muito mais poderoso e este não está simplesmente nas ruas, mas dentro de casa, às vezes dentro do quarto do seu filho ou lugar mais sagrado da casa “INTERNET”, no entanto sabemos que toda ferramenta tem os seus malefícios e benefícios, a faca que prepara o bife para saborearmos é a mesma que fere o dedo da mão, ou seja, tanto pode ser benéfica como maléfica, os cuidados devem ser constantes principalmente em relação aos filhos, e ao que eles estão compartilhando. CUIDADO!


As más associações podem levar o individuo a corrupção moral e espiritual

A corrupção Moral ocorre quando o individuo contrai más companhias. O salmo primeiro apresenta a distinção entre os justos e os ímpios. Numa visão cristã os crentes verdadeiros podem ser conhecidos pelas coisas que praticam; pelos lugares que freqüentam e pelas pessoas que convivem. Ninguém pode provar as bênçãos de Deus sem evitar as coisas prejudiciais e destrutivas (Sl 1.1). Salomão ressalta; - “Anda com os sábios e serás sábios, más o companheiro dos tolos será afligido” (Pv 13.20; 16.29).


Corrupção Espiritual acontece quando as pessoas separadas do pecado e compromissadas com Deus se misturam com os ímpios, ou seja, com aqueles que não temem e nem conhecem a Deus. Entretanto todo aquele que tem compromisso com o Senhor necessariamente não deverá caminhar com esses tais, para que não seja corrompido tanto na conduta moral quanto a espiritual (I Cor 15.33,34; I Co 5.6), entendemos que não necessita muita coisa para o homem se corromper, basta apenas uma pequena influência má, pois é como um pouco de fermento. “Um pouco de fermento leveda toda massa” (Gl 5.9).


Exemplos de más associações

Já sabemos que as más companhias se constituem uma grande ameaça para o individuo, principalmente a quem serve a Deus, no entanto citaremos poucos exemplos que certamente nos alertará. Sansão amou a Dalila e teve um fim trágico (Jz 16.4); Salomão amou as mulheres estranhas e na sua velhice teve o seu coração pervertido para servir a deuses estranhos (I Rs 11.1-4); Jeosafá fez aliança com Acabe não se saiu bem, e o Senhor o reprovou por causa daquela união (2 Cr 19.2).

Os estreitos relacionamentos entre justo e ímpio nunca deram certo. Deus dá mandamento a Moisés para não fazer concerto com o povo da terra que iria possuir (Ex 34.12).


Advertências bíblicas

Não seguir a multidão, existe pessoas que seguem a maioria para cometerem maldades (Ex 23:2; Ex 23:33). Deus recomenda que não façamos aliança ou associações com pessoas más (Ex 34:12; 23.32; 2 Cor 6:14) e nem trilhar os seus caminhos atraentes, pois são como armadilhas para o justo (Sl 1:1; Pv 1:15; Pv 4:14; Pv 22:25; Pv 23:6). Além do mais não devemos ter inveja da prosperidade deles, isso pode destruir a esperança daquele que confia em Deus. Cuidado! (Pv 24:1; Sl 37.1). Asafe ficou perturbado e quase seus pés escorregavam enquanto olhava a prosperidade dos ímpios (Sl 73.2,3,16). Todavia foi na oração que entendeu o fim deles (Sl 73.17).


As boas companhias


As boas companhias edificam e constrói, temos registros nas escrituras de grupos de jovens que se agregaram diante de situações difíceis como os que foram levados cativos por Nabucodonosor para Babilônia, ele se tomaram decisões conjuntas importantes e se edificavam nas orações, comunhão e compartilhavam espiritualmente para não perderem a sua comunhão com Deus (Dn 1.1-17). Não podemos viver sozinhos, boas amizades são imprescindíveis, porque elas nos ajudam. “Porque, se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois caindo, não haverá outro que o levante” (Ec 4.10-12; Isa 41.6).


CONCLUSÃO


Nada melhor que as boas amizades, porque elas nos edificam, e os maus companheiros infelizmente têm uma maneira muito perspicaz em envolver as pessoas em situações difíceis até dentro da própria igreja, principalmente aqueles que não querem obedecer à palavra o apóstolo Paulo recomenda-nos o que fazer (2 Ts 3.14,15; I Co 5.9,11). Seja amigo e companheiro desde que essa amizade seja saudável (Sl 119:63). Não se esqueça de selecionar bem os seus amigos.


Pr. Elis Clementino – Itapissuma - PE

Fonte: http://prelisclementino.blogspot.com
Curta a nossa Fan Page no Facebook